Início / Notícias / eSport / Desafio Internacional: Conheça a paiN Gaming
SemLag

Desafio Internacional: Conheça a paiN Gaming

Quem é que não conhece a paiN? Equipe mais antiga de League of Legends do país e atual campeã brasileira, ela tem muita história para contar. Vamos rever um pouco dessa trajetória de sucesso na preparação para o Desafio Internacional?

Leia também: Hard Random (CEI/Rússia)

Tradição

A paiN Gaming foi a primeira organização profissional de eSports a criar uma equipe de League of Legends no Brasil – em dezembro de 2011, mesmo antes da abertura do servidor local. Ela já era considerada uma das melhores equipes do país em 2012, mas só conquistou o seu primeiro troféu oficial em 2013, quando venceu a rival CNB na decisão do Campeonato Brasileiro. O título levou o time para o primeiro International Wildcard, realizado na Alemanha. O time foi bem na fase de grupos, mas perdeu a final para a GamingGear.EU, dando adeus à vaga no Mundial daquele ano.

Logo depois, a paiN perdeu para a CNB no Desafio Internacional realizado no Brasil, e o novo capítulo desenrolou-se de maneira inesperada. O atirador brTT, grande estrela da equipe, foi para a rival Keyd Stars, e a paiN começou 2014 em baixa. Com a tendência de trazer coreanos ao país, a paiN contratou Olleh e Lactea, ficando entre um dos melhores time do país, mas sem conseguir vencer um torneio oficial. Depois de perder a Liga dos Campeões para a Keyd Stars na final (2-3), a equipe foi eliminada na Regional de 2014 pela CNB na semifinal. Foi o fim da era dos jogadores coreanos na paiN Gaming.

Em 2015, a paiN trouxe de volta o jogador favorito da torcida, o atirador brTT, juntamente com o ex-suporte da Gamers 2, vindo diretamente da França, Dioud. Ele foi o primeiro jogador europeu a atuar no CBLoL. A equipe teve dificuldades na 1ª Etapa, esforçando-se para criar sinergia e comunicação no jogo. Depois de um terceiro lugar na Eliminatória, a paiN contratou Mylon, jogador de rota do topo da rival Keyd Stars. Jogando em um ritmo mais agressivo e novamente com Kami e SirT em um nível incrível de jogo, a paiN conseguiu se recuperar do terceiro lugar na 2ª Etapa com uma campanha de 8-0 nas Eliminatórias, incluindo o 3-0 contra a INTZ na grande final.

Mais fortes que nunca, ele têm a chance de esquecer o Wildcard 2013 e dar a volta por cima para chegar ao Campeonato Mundial de 2015.

Composição:

POSIÇÃO NOME A/M/A NA FINAL
Topo Matheus “Mylon” Borges 4.14
Caçador Thúlio “SirT” Carlos 5.42
Meio Gabriel “Kami” Bohm 18
Atirador Felipe “brTT” Gonçalves 11.3
Suporte Hugo “Dioud” Padioleau 3.55

De olho nele: Gabriel “Kami” Bohm

Jogador de rota do meio da paiN Gaming desde dezembro de 2011, Kami é atualmente um dos jogadores mais leais do mundo quando falamos de longevidade em equipes. Ele nunca saiu da formação titular, e era considerado o melhor jogador brasileiro nas Temporadas 1 e 2, quando tinha apenas 15 anos. Seu estilo de jogo envolve superar seus oponentes em acúmulo de recursos e pressão de mapa com um ritmo controlado de jogo. Seu rol de Campeões é grande, o que dificulta mantê-lo longe de suas escolhas confortáveis.

Apesar de Kami ter tido alguma dificuldade no início de 2014, ele continuou evoluindo seu jogo em níveis assustadores, sendo o melhor A/M/A de sua equipe no CBLoL de 2014 e nas 1ª e 2ª Etapas de 2015. Seu maior rival, Takeshi, não foi um problema durante a semifinal, e nem mesmo Tockers, o jogador de rota do meio da INTZ, foi capaz de impedir Kami de levantar outro troféu.

O jogador do meio também é conhecido por seu carisma e interação com os fãs. Sua página de Facebook é a segunda maior em seguidores de eSports no Brasil (somente atrás da própria paiN Gaming – 420.000 a 430.000) e suas streams já chegaram a incríveis 30.000 usuários assistindo ao vivo no Twitch. Kami é uma estrela, mas ele nunca deixou isso subir à cabeça e continua humilde. Ele segue focado no jogo, e sempre que isso acontece, é fácil apaixonar-se por seu estilo de jogo (e muito difícil de vencê-lo).

Kami é, provavelmente, o melhor que a região pode produzir. Ele é conhecido por vários jogadores profissionais fora do Brasil, tendo enfrentado alguns como Ocelote, Froggen, Hai, Alex Ich, xPeke e Ambition na rota do meio. Porém, seu desempenho até hoje não mostrou todo o seu potencial. Em uma equipe que combina com seu estilo e na melhor fase de sua carreira, ele parece estar pronto para brilhar e conquistar os corações em nível mundial.

 

 

por LeonButcher via League of Legends

Sobre Renan Caldeira

Redação LegendsBR.

Veja Também

TORNEIO AMADOR OP X1 #9

Quem vai pras competições de Duelo hoje? 5600RP pro campeão.