Início / Notícias / eSport / Origen e a volta de xPeke

Origen e a volta de xPeke

SemLag

Boa noite a todos! Sejam bem-vindos ao meu primeiro post aqui na LegendsBR. Se tudo der certo, ainda nos encontraremos muitas vezes por aqui! Hoje venho conversar um pouquinho com vocês sobre a volta do jogador xPeke ao topo do cenário mundial e sua nova equipe: Origen.

Para quem não sabe, xPeke é um dos jogadores mais antigos do cenário competitivo de League of Legends. Em atividade desde a primeira temporada, enquanto jogava em sua primeira equipe – Fnatic – conquistou o título de Campeão Mundial da Season 1 de League of Legends. Sobre a Origen, a equipe foi criada em 7 de dezembro de 2014 e é um sonho antigo do mid laner. Na sua saída da Fnatic, ele falou sobre a novidade:

Eu tenho tantas coisas boas para falar sobre a Fnatic, e meus companheiros de time. Mas não farei disso uma longa história e direi que existe apenas uma razão para eu sair da Fnatic e isso é completar o sonho que eu tenho a muito tempo… e agora eu penso que seja a hora de criar o meu próprio time.

xPeke usou seu conhecimento no cenário e as amizades que criou ao longo de todo seu tempo como profissional, para montar um time com jogadores de altíssima qualidade e com vasta experiência. Os escolhidos foram:

  • Amazing, para a selva. Atuando no competitivo desde 2012, é conhecido por muitos, pela sua passagem na Team SoloMid, em 2014.
  • Niels, como atirador. É um jogador praticamente desconhecido aqui no Brasil, mas atua no competitivo desde 2013.
  • Mithy, atuando como suporte (não, não é o nosso MiT, apesar da similaridade no nome e na rota de atuação). Sua aparição mais notória provavelmente foi atuando pela Lemondogs, onde perderam a final do split de verão, da LCS EU de 2013 para a Fnatic. Atua no competitivo desde a metade de 2012 .
  • O último jogador a integrar a equipe foi Soaz, para o topo. Que atuou na Fnatic ao lado de xPeke desde a metade de 2012 até o fim de 2014. Avisado que não integraria o grupo da Fnatic para a temporada 2015, na metade de janeiro de 2015 ingressou na equipe ex-companheiro xPeke.

Com pouco tempo de treino e muitos detalhes para lidar, entraram na classificatória para o EU Challenger Series, no início de fevereiro. Dia 17 de fevereiro a equipe já estava disputando o primeiro jogo desse campeonato – que é a divisão de acesso da LCS EU –, contra um dos principais rivais para a vaga de acesso: a Gamers2. Foi uma estreia sem grandes jogadas em equipe para serem destacadas. Justificada pela falta de tempo de treino dos 5 integrantes em conjunto. Um jogo com muitas lutas dentro da selva, apesar de terem sido lutas sem visar nenhum objetivo específico (alô alô SoloQ). De positivo desse jogo, vale ressaltar a habilidade mecânica de todos os jogadores da Origen, onde eles conseguiram sair vitoriosos das lutas em equipe pela capacidade de reação a cada movimento dos adversários; o bom controle de visão imposto é evidenciado quando o caçador compra a Pedra da Visão e o topo se mantém com Totem de Vigilância, ampliando para o Totem Superior Invisível depois do nível 9; e por fim, a capacidade de se aproveitar dos erros dos adversários. Atitude que parece muito simples nos campeonatos de primeira linha, mas pouco usada durante todo EU Challenger Series.

Desde o primeiro jogo, Origen já mostrou qual seria a sua principal característica: a agressividade, encontrando em Amazing o expoente principal de todas jogadas desse gênero. Durante a primeira partida, Amazing tentou impor esse seu estilo agressivo desde o começo, mas acabou esbarrando na falta de entrosamento do seu próprio time, que não acompanhava o seu ritmo. No decorrer do campeonato, ficou clara a melhora no trabalho em equipe, onde todos os jogadores conseguiram acompanhar a facilidade de Amazing em acelerar a partida e ditar o ritmo do jogo. A capacidade de adaptação da equipe Origen, é um ponto importante dentro da agressividade característica do time. Na primeira parte da fase de grupos contra a Reason Gaming, Amazing foi neutralizado diante da maior velocidade de rotação dos adversários, que conseguiam prever os passos do caçador da Origen. Por essa razão, a equipe demonstrou uma capacidade altíssima de mudar a sua estratégia dentro da partida e se adaptar ao jogo. Passando da agressividade ao desempenho individual, buscaram jogar recuados a fim de passar pela fase de rotas de forma mais segura.

Niels foi uma grata surpresa. Um jogador com mecânica privilegiada, capaz de proporcionar belas jogadas com seus atiradores. Certamente o jogador mais constante de toda Origen. Sempre com um ótimo farm, dificilmente fica com menos ouro que o atirador adversário. Mesmo quando Mithy joga com suporte que iniciam as lutas em equipe, Niels se mantém seguro, com um ótimo posicionamento. Ao mesmo tempo que consegue se manter seguro, consegue causar muito dano. Na maioria das partidas, superando até mesmo xPeke no quesito de maior dano causado.

Os carregadores xPeke e Niels apresentaram um leque de opções bem variado e de ótima qualidade em relação aos seus campeões. Destacando-se LeBlanc e Lissandra para xPeke com atuações realmente espetaculares com esses campeões por parte do mid laner. Para Niels, é possível destacar suas atuações com Kalista e Corki. Soaz e Mithy apresentam um leque um pouco mais reduzido, mas ainda com ótimas opções, como a já famosa Morgana em rota solo de Soaz e as belíssimas atuações de Mithy com sua Annie. Quem mais preocupa em relação a variedade de campeões é Amazing. O jogador que dita a velocidade de jogo da Origen pode acabar sendo facilmente anulado contra times mais qualificados da LCS EU. Durante o a primeira fase, apareceu quatro vezes com seu Gragas e oito com sua Rek’Sai.

Nove dos dez jogos da primeira fase foram muito seguros por parte da Origen, com nítida evolução das jogadas em equipe. A exceção fica na única derrota da equipe, no jogo de ida contra a Copenhagen Wolves Academy. Onde eles optaram por escolhas de campeão distintas do estilo de jogo apresentado durante toda primeira fase.

Durante os playoffs, o primeiro jogo da semifinal, contra Reason Gaming foi uma verdadeira surpresa. Os jogadores da Origen, escolheram campeões que se sentem seguros: Lissandra para xPeke, Rek’Sai para Amazing, Corki para Niels. Iniciaram muito bem a partida com Amazing praticamente anulando a Sejuani adversária, sempre presente na selva adversária e roubando parte dos buffs. Porém, faltaram jogadas mais incisivas por parte da Origen. Por ser o primeiro jogo de uma melhor de três, estavam com medo de errar e entregar a partida. Mas foi justamente esse o erro. Tinham o jogo nas mãos, mas não conseguiram finalizar. Assim os adversários se recuperaram e quando a Origen resolveu lutar, a vantagem que haviam obtido já tinha desaparecido. Com isso veio a derrota no primeiro jogo. Na partida seguinte conseguiram botar a cabeça no lugar, consertaram os erros e xPeke apareceu com um Vladimir no meio que certamente fez a diferença para Origen, capitaneando seu time para a vitória. No terceiro jogo, com todo foco em cima do Vladimir de xPeke, sobrou espaço para Niels brilhar, com 10.000 de dano causado a mais que xPeke, o segundo colocado. Reason Gaming conseguiu evoluir muito ao longo da fase de grupos e fez uma “melhor de três” duríssima para Origen.

Na final, Copenhagen Wolves Academy não conseguiu mostrar a mesma força que a Reason Gaming mostrou nas semifinais e levou um 3 a 0 na melhor de cinco.

Depois de um mês e meio da final contra a Copenhagen Wolves Academy, a Origen volta aos jogos oficiais e estreia na LCS EU Summer Split. Contra a Giants Gaming que disputou a promoção contra a Reason Gaming. De inicio já é possível notarmos uma grande diferença na Origen, que não começa com seu ímpeto inicial de invasão de selva e roubo de buffs. O nível dos adversários aumentou e Origen não consegue controlar o jogo facilmente como no Challeger Series. Nem mesmo a vantagem no farm que sempre ocorria. Aos 10 minutos de jogo, todas as rotas da Origen estavam perdendo nesse quesito em absolutamente todas as rotas. Parecem ter sentido o peso da estreia. Ficavam apenas farmando, sem rotações, sem ganks. Então, Origen consegue o First Blood aos 13 minutos e a postura dos jogadores muda completamente. Eles controlaram a partida desse momento até a queda do nexus adversário.

O segundo jogo, no dia 2 da LCS EU, foi contra a H2K, equipe que disputou os playoffs do Spring Split e de qualidade nitidamente superior à Giants Gaming. Na boa e velha linguagem soloqueueana: foi um stomp por parte da Origen. Aos 3 minutos e 30 segundos, Amazing e xPeke estavam dando dive em cima do Kassadin do coreano Ryu. Com 8 minutos de jogo, Amazing tinha realizado dois ganks na rota do meio, um roubo de azul e uma chamada estratégica de dragão. xPeke não deu chance alguma para Ryu, com 30 minions de vantagem aos 10 minutos de jogo, essa foi uma partida para tirar as desconfianças da estreia por parte da Origen.

xPeke e seus companheiros estão apresentando uma ótima evolução desde o início do Challenger Series. As jogadas em equipe que eram deficientes nos primeiros jogos são agora de dar inveja em muitos times veteranos. De fato, apesar de todas as incertezas que pairam sobre essa nova equipe, uma coisa é garantida: a Origen está chegando muito forte para esse Split e sem dúvidas vai dar muita dor de cabeça para as grandes equipes europeias. Por fim, eles possuem chances reais de serem campeões? Bem… Apesar do histórico de partidas estar conspirando a favor de uma resposta positiva para essa pergunta, isso só o tempo irá nos dizer.

Até a próxima pessoal!

Sobre Max Pita

Jogador de LoL de level Diamante Canal de LoL: http://youtube.com/legendsbrcom Canal de Jogos: http://youtube.com/maxpita Twitter: https://twitter.com/max_pita Facebook: https://www.facebook.com/mitopita/

Veja Também

Torneios deste Fim de Semana – 10 a 12 de Abril

Teremos 4 torneios este fim de semana, sendo 3 de X1 com pancadaria total e outro de 5x5 até Platinas. GG RpEasy!