terça-feira, 22 de outubro de 2019
Início / Análises / Análise: inteligente, INTZ bate EDG em rotações

Análise: inteligente, INTZ bate EDG em rotações

SemLag

Só mesmo uma surpresa como essa para embalar um Grupo logo no primeiro dia de confrontos na Fase de Grupos do Mundial 2016.

Em todas as análises, seja da Europa, América do Norte, Brasil ou China, a INTZ poderia arrancar uma vitória da H2K ou da ahq caso as adversárias vacilassem, mas nunca da campeã chinesa, EDward Gaming. Quis o destino que fossem eles as vítimas da INTZ logo na primeira partida brasileira no Mundial 2016. Isso, somado à vitória de virada da ahq contra a H2K, muda o panorama inicial do Grupo, que colocava a EDG disparada em primeira, a INTZ por último e H2K e ahq batalhando pelo segundo lugar.

O pandemônio que tomou conta do Twitter, Facebook e demais mídias sociais durante e após a vitória Intrépida demorou para assentar, mas quando o fez nós paramos para analisar uma partida que já entrou para a história de todos os Campeonatos Mundiais.


O jogo começa antes de subir para o palco

Campeã chinesa, a EDward Gaming é não só a favorita do Grupo C, mas também uma das concorrentes ao Mundial 2016.
Campeã chinesa, a EDward Gaming é não só a favorita do Grupo C, mas também uma das concorrentes ao Mundial 2016.

Tockers conta que a partida começou em uma palestra do analista Brokenshard, antes dos Intrépidos subirem para o palco da partida. “Ele disse que todos os seres humanos tem medo do desconhecido, já que, por não conhecer, não conseguem controlar o que pode acontecer. Nessa partida, eles não nos conheciam, enquanto a gente sabia exatamente quem eles eram e o que poderiam fazer. Assim, eles que deveriam ter medo da gente”, diz o meio.

A INTZ, a bem da verdade, não tinha nada a perder. Nada era esperado dos brasileiros, que chegaram para a partida sem peso algum de conquistar uma vitória – e essa foi uma arma muito importante, já que é uma equipe que sempre teve um peso enorme de manter os bons resultados no Brasil e também de ser campeã do Wildcard, já que havia falhado duas vezes.

O draft consciente da INTZ permitiu um caminho claro para Revolta pressionar as rotas certas dentro de jogo.
O draft consciente da INTZ permitiu um caminho claro para Revolta pressionar as rotas certas dentro de jogo.

Antes de Summoner’s Rift, a equipe também mostrou um draft impecável. Com a ajuda de Tockers, quebramos o que os Intrépidos pensaram durante a fase de picks e bans. “Estávamos tendo muitos problemas contra a Syndra, que é uma escolha que os times do Mundial estão priorizando e que as equipes no Brasil só estão jogando como uma escolha reativa”.

A ideia da INTZ era escolher primeiro a Elise, campeão da zona de conforto de Revolta e com quem o caçador tem 12 vitórias e 3 derrotas no ano. Quando a EDG baniu a Aranha, a INTZ ficou sem ideias, e resolveu apostar na Syndra. “É um campeão que te permite andar pelo mapa, libera o seu caçador e tem um poder muito grande”, diz Tockers.

Yang novamente provou o motivo de Gnar ser banido contra os Intrépidos.
Yang novamente provou o motivo de Gnar ser banido contra os Intrépidos.

A EDG então escolheu sua rota inferior: Nami e Ezreal. Um duo que tem uma fase de rotas muito forte, com dano à distância e sustento, mas que também fica forte no final de jogo. A INTZ respondeu com Braum e Ashe, uma dupla que escala melhor ainda para late game e que contém muito controle de grupo e opções de jogadas. “Atualmente a Ashe é um dos melhores, se não o melhor Campeão, para se usar como Atirador no late game, ela causa muito dano”.

“Guardamos as últimas duas escolhas para ver o que eles mostrariam pra gente, e quando eles pegaram Vlad e Graves, mostramos o Lee Sin e o Gnar”. As últimas escolhas caíram totalmente na zona de conforto dos jogadores, tanto Revolta e Yang com seus Campeões favoritos, como Clearlove, que já provou diversas vezes seu controle com Graves (o caçador tem 15 vitórias e 5 derrotas com ele no ano). “Eles erraram na última escolha, que foi Irelia”, diz Tockers, e nós vamos explicar o motivo.


No baile da Intrepidez

A INTZ sempre esteve na liderança do ouro, e ainda assim jogou cautelosamente.
A INTZ sempre esteve na liderança do ouro, e ainda assim jogou cautelosamente.

Há um motivo de Revolta ser considerado atualmente o melhor caçador brasileiro. Conhecido por acelerar o jogo desde cedo, emboscando as rotas e mergulhando nas torres inimigas, o caçador colocou a INTZ no mapa em 2015 jogando primariamente com o Monge Cego. Em palco Mundial, não foi diferente.

Os Intrépidos tinham leve desvantagem no bot por causa do confronto 2×2, que só piorou quando Deft e Meiko abateram micaO e Jockster. A resposta de Revolta veio pouco depois: o famoso dive na rota inferior, que resultou em dois abates e a Primeira Torre, disparando a contagem de ouro da INTZ. PawN descontaria para a EDG, enquanto Yang e Tockers abatiam Mouse no topo.

Com o bot em situação mais confortável e Tockers segurando o Vladimir de PawN no meio, foi a hora de Mouse sofrer – e Yang começar o seu reinado de terror. Revolta emboscou o topo chinês três vezes, conseguindo três abates para o topo Intrépido. A segunda foi na T2 do topo, a qual destruíram na sequência. Yang então trocou de rotas com Jockster e micaO e pressionou o bot: novo dive com Revolta em Mouse, novo abate, nova T2 destruída. A INTZ massacrava a Irelia chinesa e deixava-a fora da partida.

Com o buff do Arauto nas mãos de Yang, o topo começou a brilhar nas lutas, mas a INTZ não conseguia arrumar a brecha para conseguir fazer algo mais incisivo na partida. Até que, em um mau posicionamento de Deft e Meiko no meio, Revolta novamente serviu Yang, que conseguiu um Double Kill e abriu as portas para o primeiro Barão da INTZ na partida.

A INTZ demonstrou frieza para controlar a partida e não só manter a vantagem de ouro, como aumentar. Uma dificuldade comum para equipes Wildcard quando enfrentam regiões mais consagradas.
A INTZ demonstrou frieza para controlar a partida e não só manter a vantagem de ouro, como aumentar. Uma dificuldade comum para equipes Wildcard quando enfrentam regiões mais consagradas.

Este meio de jogo impecável da INTZ foi marcado por Revolta conseguir entender os pontos de mapa que deveria pressionar no momento certo. Com Clearlove tendo uma má atuação e não aparecendo muito para ajudar, o caçador brasileiro sobrou nas ações, ativando todos os seus companheiros e deixando os Intrépidos em uma situação confortável para dominar as Torres, Dragões e controle da selva adversária, fazendo algo que é difícil de ver quando regiões Wildcard enfrentam times consagrados internacionalmente: não só manter a vantagem de ouro, mas aumentar ela aos poucos.


Um vampiro com sede de sangue

PawN conseguiu abates no começo da partida e era a principal arma da EDG no jogo, atacando principalmente nos flancos.
PawN conseguiu abates no começo da partida e era a principal arma da EDG no jogo, atacando principalmente nos flancos.

A INTZ já tinha 6k de ouro de vantagem quando fez o primeiro Barão, e aproveitou o buff para destruir a T2 do meio e encarcerar a EDG dentro de sua própria base. Um novo desafio começava: conseguir a brecha para levar a primeira T3 e o Inibidor. Nem mesmo Yang na investida dividida conseguia destruir a torre, isso porque os chineses apostaram em sua única arma até então: PawN.

O meio coreano estava 4/0, pois tinha encontrado brechas durante as lutas da INTZ para abater alguns jogadores, e contava com a ajuda da sua equipe para limpar as sentinelas brasileiras em sua selva e permitir flancos diretos em cima de Tockers e micaO. Cada vez que Yang aparecia pra tentar pressionar o bot, PawN pressionava os lados da INTZ. “A única coisa que nos faria perder o jogo é se o Vlad conseguisse o nosso flanco”, diz Tockers. “Por isso, quando tínhamos visão, pressionávamos. Se não tínhamos, optávamos apenas por recuar”.

Alguns diziam que a INTZ estava respeitando demais a EDG, mas vamos lembrar que eles são os campeões chineses. Os Intrépidos novamente esperaram pacientemente a brecha para conseguir uma vantagem, e ela surgiu em mais um erro do melhor caçador do mundo, Clearlove, que não conseguiu desviar da Flecha Encantada de micaO e causou três abates para os brasileiros, que fizeram o seu segundo Barão na partida e pressionaram o bot até levar a T3.


Pontos de pressão certeiros

Jogando contra o seu ídolo, Revolta engoliu a partida, não deu espaço para Clearlove e colocou todos os seus companheiros na vantagem contra os oponentes de rota.
Jogando contra o seu ídolo, Revolta engoliu a partida, não deu espaço para Clearlove e colocou todos os seus companheiros na vantagem contra os oponentes de rota.

Com mais um minuto de buff do Barão, todas as rotas pressionando e após acabarem de levar a T3 do bot, a INTZ mostrou novamente que estava afiada nas chamadas: abriram mão de levar o Inibidor inferior, já que a EDG ainda ameaçava lutar, para aproveitar o buff Barão e destruir a T3 do meio, que já estava com a metade da vida.

Com o domínio completo do mapa, a equipe viu que ainda teria tempo e espaço suficiente para voltar para a base, forçar o Dragão Ancião e, com o seu poderoso buff de luta, invadir a base da EDG para brigar pelos dois Inibidores. A bem da verdade a INTZ apenas conseguiu destruir um deles, já que demoraram para rotacionar para o meio e levar o segundo. No entanto, pouco depois novamente encontrariam a chave para a vitória no jogador mais improvável de entregá-la:

Sem presença nas emboscadas, sem invasões na selva, erros de posicionamento... Clearlove espantou com o nível de jogo apresentado na estreia da EDG.
Sem presença nas emboscadas, sem invasões na selva, erros de posicionamento… Clearlove espantou com o nível de jogo apresentado na estreia da EDG.

“Yang consegue abater sozinho o melhor caçador do mundo”, disse Spawn, na transmissão americana.
“Mas você deve se perguntar o que o melhor caçador do mundo estava fazendo ali naquele momento!”, respondeu Jatt.

Muito longe da sua base, Clearlove foi caçado e aniquilado pelo Gnar de Yang, e com a vantagem numérica, os jogadores da INTZ partiram para o Inibidor do meio e, cansados de esperar, iniciaram a luta. Mais uma Flecha Encantada certeira de micaO, Deft foi explodido após Revolta jogá-lo para o meio da INTZ. PawN tentou salvar sua equipe se jogando de qualquer maneira, mas foi a segunda vítima. Meiko e Mouse pareciam desacreditar que cinco brasileiros estavam explodindo seus aliados e destruindo suas torres rumo à vitória, mas era tudo verdade.


Após o jogo, pés no chão

 

A vitória foi fantástica, mas colocou a INTZ no centro das atenções. De equipe desconhecida à potencial concorrente por uma vaga nas Quartas: o Mundial acaba de ficar mais perigoso para os brasileiros.
A vitória foi fantástica, mas colocou a INTZ no centro das atenções. De equipe desconhecida à potencial concorrente por uma vaga nas Quartas: o Mundial acaba de ficar mais perigoso para os brasileiros.

O draft impecável da INTZ, aliado com a visão de jogo de Revolta e o plano bem coordenado de todos os jogadores Intrépidos – com um destaque que não dá pra faltar para o Gnar de Yang, os brasileiros causaram uma das maiores surpresas da história dos Mundiais de League of Legends, e é só o começo do de 2016.

O medo agora é não deixar esta vitória e toda a festa em torno dela subir à cabeça dos jogadores, que terão todo o apoio psicológico que os fizeram campeões do IWCQ. “Foi uma das primeiras coisas que eu pensei”, disse Tockers. “O pessoal podia estar pensando ‘eles ganharam da segunda melhor equipe do Mundial, então vão chegar na final’. No entanto, sabemos que não é assim que funciona. Não somos melhores que a EDG. Ganhamos um jogo, mas sempre digo que em uma MD1, não é sempre o melhor time que ganha, então os próximos jogos contra a H2K e ahq serão tão difíceis quanto, se não mais, então temos que ter os pés no chão. Foi uma vitória muito boa para nós e para o Brasil, mas se significou algo é que o Campeonato só será mais difícil para nós daqui pra frente”.

A INTZ perde uma grande arma com a vitória contra a EDG: agora, não é mais desconhecida. Todos os olhos estão nos brasileiros, que serão mais estudados pelos adversários. O bom é que com certeza terão muito mais oportunidades de treinos e amistosos após sua brilhante atuação neste primeiro dia. Enfim, o caminho será longo e árduo para lutar para uma vaga nas quartas, que apesar de ser um sonho distante para o Brasil, talvez não esteja tão distante assim, afinal.

por LeonButcher via LoL eSports BR

Sobre Blitzcrank

o Grande Golem a Vapor. Redator do LegendsBR nas horas vagas.

Veja Também

Torneios deste Fim de Semana – 10 a 12 de Abril

Teremos 4 torneios este fim de semana, sendo 3 de X1 com pancadaria total e outro de 5x5 até Platinas. GG RpEasy!