Início / Destaques / Preço dos pacotes de RP sofrem reajuste e sobem novamente
SemLag

Preço dos pacotes de RP sofrem reajuste e sobem novamente

Com a alta da inflação, já era de se esperar o aumento no valor dos pacotes de Riot Points (RP’s). A razão disso é o efeito cascata nos preços, e isso afeta diretamente empresas como a Riot, que mesmo vendendo itens virtuais, existe toda uma equipe e infra-estrutura por trás do jogo para mantê-lo funcionando.

O Rioter Nightingale comunicou no fórum oficial o aumento no preço dos RP’s, os motivos que levam a isso e os novos preços dos pacotes. Confira:

Olá a todos!

TL;DR pra quem não gosta de textão: Como acontece todo começo de ano, teremos uma atualização no preço do RP a partir desse mês.

Mantendo a política de reajustes que começamos em 2015 (se você perdeu os comunicados anteriores, clique AQUI e AQUI, a partir de 17 de Janeiro de 2017 teremos novos valores para os pacotes de RP na loja.

Mas perai, por que esses ajustes?

Quem já tava por aqui nos anos anteriores sabe, mas se você chegou agora ou perdeu os últimos reajustes, o que acontece é o seguinte: ao longo do ano o preço médio de tudo vai aumentando (a famosa inflação), assim como o preço do dólar também pode subir. Esses aumentos impactam os custos de operação da Riot no Brasil, além da nossa capacidade de continuar investindo em coisas legais pra vocês (mais servidores e melhorias de rede, eventos presenciais cada vez mais legais pelo país, mais conteúdo local, etc). No fim das contas, não atualizar os preços de acordo com esses índices limita bastante o futuro do LoL em terras canarinhas.

Como a situação muda ano a ano, em 2016 tivemos um cenário um pouco mais positivo do que nos anos anteriores:

Inflação: 7,17%
Dólar: -16%

Sendo assim, os novos preços corrigidos pela inflação serão:

Cartão de crédito, Boleto, Transferência Bancária/Depósito, eWallet (PayPal)

R$ 11,50 – 650 RP
R$ 23,50 – 1.380 RP
R$ 47,00 – 2.800 RP
R$ 82,50 – 5.000 RP
R$ 118,00 – 7.200 RP
R$ 235,00 – 15.000 RP

Para os pacotes de SMS

R$ 4,99 – 155 RP
R$ 9,99 – 325 RP

Para cartões Pré-pagos ou PIN’s nas Lan-houses/na Maquininha:

R$ 10,00 – 560 RP
R$ 20,00 – 1.170 RP
R$ 40,00 – 2.380 RP

R$ 25,00 – 1.465 RP
R$ 50,00 – 2.980 RP
R$ 100,00 – 6.110 RP

Mais uma vez, ao contrário do que a maioria das empresas faz, tentamos deixar tudo o mais transparente possível e avisar com alguma antecedência, para que vocês possam se programar caso queiram aproveitar o RP com o preço antigo por mais algumas semanas, além de manter o diálogo aberto para tirar dúvidas que vocês tenham a respeito do reajuste.

Obrigado por estarem sempre conosco! 🙂

 

Nightingale fixou um post com um FAQ com perguntas que foram feitas a respeito do assunto nos últimos anos para sanar as dúvidas dos usuários sobre o assunto.

Pra quem quiser ir um pouco mais fundo no processo e motivação do reajuste, abaixo temos um FAQ com perguntas que foram feitas a respeito do assunto nos últimos anos. Eu estarei aqui no fórum tirando dúvidas a respeito e, se mais alguma dúvida for frequente, atualizo a lista pra facilitar a vida de todo mundo.

P: Como funciona a inflação ou como ela e o preço do dólar causam um aumento nos nossos custos?

R: Inflação é o aumento do preço médio de serviços e produtos (as causas e os detalhes de como ela funciona no Brasil ficam pra uma aula de economia). De forma simples, é algo (uma hora na lan house, um monitor de led ou um quilo de plástico pra fábrica fazer o monitor) que custava 10 e depois de um tempo passa a custar 12. Isso quer dizer que todos os custos que temos (aluguel de escritório, funcionários, materiais de trabalho do dia a dia, infra-estrutura de servidores, etc) passam a custar mais mês a mês. Como ajustar os preços em pequenas frações mês a mês não faz muito sentido, preferimos atualizar os preços no começo de cada ano, referente à inflação do ano anterior. Da mesma forma, o aumento do Dólar em relação ao Real impacta outra parte dos custos (os que temos em moeda estrangeira, como compra de servidores, que são importados). Contudo, os preços em dólar integram uma parte bem pequena dos nossos custos totais. Por isso, por exemplo, o aumento de quase 50% no dólar de 2014 pra 2015 praticamente foi ignorado no reajuste do preço do RP, que ficou na casa dos 10% (equivalente à inflação do período). Da mesma forma, mesmo o dólar tendo caído de 2015 pra 2016, o reajuste acompanhou basicamente a inflação: algo na faixa dos 7%.

P: Por que vocês não corrigem os pacotes para entregar mais RP ou diminuem os preços das skins? Não daria na mesma?

R: Na verdade não. A conta é sempre feita através de RP entregue por Real. Se nós aumentamos o preço do RP mas entregamos mais RP, isso anula o efeito do reajuste e significa que não nos adaptamos ao aumento da inflação no fim das contas. É mais ou menos assim: a Riot passou a fazer brigadeiros (aeeeee). Para fazer 10 unidades nós gastamos R$8 (precisamos de R$0,80 para fazer cada bolinha de chocolate). Na hora de vender, cobramos R$10 pelos mesmos 10 brigadeiros (ou seja, cada brigadeiro sai por R$1). Tudo é lindo e doce, mas vem a inflação e aumenta o custo que temos para fazer 10 brigadeiros pra R$10,50. Pra mantermos a mesma proporção de antes, ajustamos nosso preço para R$13. Porém, se eu passar a quantidade da porção proporcionalmente ao aumento de preço (nesse caso para 13 unidades), cada R$1 continua comprando 1 brigadeiro, quando meu custo para fazer cada brigadeiro subiu para R$1,05. A mesma lógica se aplica para reduzir o preço das skins (as pessoas precisariam de menos RP para comprar conteúdo no jogo em igual proporção ao valor do RP reajustado, neutralizando o reajuste na verdade).

P: Mas vocês só fazem conteúdo digital/virtual, não tem o mesmo custo de produção de uma fábrica de brigadeiros!

R: Quem dera fosse doce assim. Manter uma empresa do tamanho da Riot, com a tecnologia necessária para tocar um dos maiores jogos online do mundo, requer uma quantidade insana de recursos (dá uma olhada na pergunta 1 ali em cima só pra ter uma ideia do tamanho da encrenca). Parece razoável pensar que por vendermos itens virtuais não existe custo, mas é claro que não é assim, ou criar jogos de computador seria o negócio mais lucrativo da história. No final, temos apenas custos diferentes de empresas que trabalham com itens “físicos”, mas eles existem, assim como impostos, taxas e tarifas necessárias para termos nossa operação no Brasil.

P: Por que o preço do SMS continua sendo muito menos vantajoso do que as outras formas de pagamento?

R: Microtransações (comprar coisas) via SMS no Brasil nunca foram rentáveis (pelo menos pras empresas que contratam esse serviço). O problema, na verdade, são dois: altos impostos e taxas das operadoras. O governo taxa uma compra por SMS como “telecomunicações” ao invés de taxar como “forma de pagamento”. Não faz sentido, mas pra eles é legal porque o imposto que eles arrecadam é bem maior. No Brasil esse imposto chega a 30% do valor pago. Ou seja, quando você compra R$9,99, 30% desse valor vai direto pro governo. Depois disso, mais uma boa parte é tomada pelas operadoras. Cada operadora tem uma taxa diferente, umas melhores, outras piores mas, quando somamos a taxa das operadoras mais o imposto, o valor final que chega para a Riot é apenas uma pequena parcela do total. Mesmo com essa desvantagem toda, tentamos manter essa opção de pagamento por saber que é conveniente para uma parcela dos jogadores. Porém, temos que refletir essa cadeia de custos no preço dos pacotes por SMS.

P: Vocês justificaram que os preços vão subir por causa da inflação e aumento do dólar. Se a inflação cair e o dólar também, os preços vão diminuir?

R: No caso da inflação, sim. Porém, um cenário econômico onde os preços diminuem ao invés de aumentar é o maior caos econômico possível. Dada a forma como a economia funciona, isso é bastante improvável de acontecer, pois significaria recessão pesada. Como respondido na primeira pergunta, o Dólar é mais flexível. Porém, por impactar de forma tímida em nossos custos, ele não tem tanta influência no reajuste de preços (pro bem – quando o dólar sobe muito, como foi em 2015 – e pro mal, quando ele cai, como foi ano passado).

P: Vocês citam os investimentos em eventos como parte do motivo dos custos, mas os eventos não geram receita e dão lucro?

R: Os eventos de eSport geram uma receita que ajuda a cobrir parcialmente os custos do evento, mas nunca lucro (e nem é a intenção de uma final de CBLoL). Não é difícil chegar à essa conclusão com informações abertas a todos. Veja só:

Na final do CBLoL 2016 no Ibirapuera foram vendidos mais ou menos uns 12.500 ingressos, a preços de R$80,00 e R$60,00. Estudante paga meia, lógico, então vou ser bem positivo e dizer que só 30% dos ingressos foram meia entrada. Ai temos:

5.000 ingressos setor 1
3.500 ingressos por R$80
1.500 ingressos por R$40

7.500 ingressos setor 2
5.250 ingressos por R$60
2.250 Ingressos por R$30

Total de receita: ~R$722.500,00

De volta aos custos, a lista é enorme e temos: aluguel da arena por no mínimo 1 semana, equipe de produção, palco, telão, energia elétrica, banda e artistas, equipamentos de rede, internet, mão de obra da galera que trabalha na montagem e operação, seguranças, brindes (físicos e skins), entre vários outros.

No fim das contas encaramos esses eventos como, de fato, um investimento: gastamos mais dinheiro do que arrecadamos, mas sabemos que a experiência pra quem vai é inesquecível.

 

 

Fonte(s): League of Legends.

Sobre Max Pita

Jogador de LoL de level Diamante Canal de LoL: http://youtube.com/legendsbrcom Canal de Jogos: http://youtube.com/maxpita Twitter: https://twitter.com/max_pita Facebook: https://www.facebook.com/mitopita/

Veja Também

TORNEIO AMADOR X1 OP #38

Nosso torneio de X1 começa as 16h Escolha seu campeão favorito e venha pra Arena. Marque seus amigos