Início / Notícias / Conheça as histórias de Rakan e Xayah
SemLag

Conheça as histórias de Rakan e Xayah

Recentemente, a Riot liberou as histórias de Rakan e Xayah no Universe[1][2], onde podemos observar suas características e a personalidade dos novos campeões que serão lançados em breve. Confira:


• Biografia de Rakan, o encantador

Esbanjando charme e vivacidade, Rakan é um conhecido encrenqueiro vastayês e o melhor dançarino-lutador que a tribo Lhotlan já viu. Para os humanos das terras montanhosas de Ionia, seu nome sempre foi sinônimo de festivais animados, festas incontroláveis e música anárquica. Poucos suspeitariam que esse artista enérgico e nômade tem uma parceira rebelde chamada Xayah e é totalmente dedicado a sua causa.

Nas divisas ancestrais e místicas das florestas de Iônia, vive o último dos vastaya da tribo Lhotlan. É um lugar onde a magia é respirada como o próprio ar, e o tempo tem pouco significado. Para essas criaturas quiméricas, os reinos dos mortais se tornaram um deserto implacável, praticamente isento de magia. Poucos se afastam de suas terras cada vez mais reduzidas, mas Rakan escolheu um caminho mais arriscado. Ele trilha um caminho limite entre as correntes mágicas do mundo, como explorador, mensageiro e colecionador de músicas para sua tribo.

Um tratante divertido, um artista bem-vindo em qualquer taverna ou parque de diversões, Rakan estava satisfeito com as simples aventuras da vida na estrada… até que, por acaso, conheceu Xayah no festival da colheita de Vlonqo.

Ao vê-la na multidão, Rakan cantou uma de suas canções antigas, deixando toda a cidade em transe com sua plumagem reluzente. Embora muitas vastayesas e humanas já tenham se apaixonado por ele, esta corva violeta parecia imune aos seus encantos, mas não de todo desinteressada. Como ela podia vê-lo e não segui-lo? Esta era uma charada sem resposta fácil.

Intrigado, o bailarino-lutador decidiu que acompanharia Xayah em suas viagens. Ele ficou fascinado pela forma como ela interagia com o mundo. Ela parecia estar sempre preparada, reservada e focada, enquanto ele era desinformado, afável e fútil; mas em situações perigosas, eles lutavam juntos com excepcional sintonia. Em pouco tempo, a dupla tornou-se inseparável.

Depois de meses de namoro, Rakan começou a ver o mundo pelos olhos de Xayah. Inspirado pela peculiar motivação da parceira, ele juntou-se a sua cruzada para retomar o poder vastaya, e recuperar tudo que seu povo havia perdido.

Com Xayah, ele tinha encontrado um propósito, e estava apaixonado.


• Biografia de Xayah, a rebelde

Letal e precisa, Xayah é uma revolucionária vastayesa em uma guerra pessoal para salvar o seu povo. Ela usa sua agilidade, astúcia e plumas afiadas como navalhas para atacar quem quer que fique em seu caminho. Ela luta ao lado de seu parceiro e amante, Rakan, para proteger sua tribo cada vez menor e restaurar sua raça à sua antiga glória.

Enquanto pequena, Xayah adorava ouvir seu pai cantar versos folclóricos sobre os heróis vastayeses. As melodias a transportavam a uma era há muito esquecida, quando o mundo espiritual dançava livremente no mundo físico. A cada nova geração, os humanos avançaram cada vez mais sobre as terras das tribos de Lhothlan, interferindo com a essência pura e caótica de Ionia para seu benefício. Incapaz de assistir ao seu povo desaparecer sem fazer nada, Xayah ignorou os decretos e partiu para negociar com a humanidade.

Ela se aventurou em vilarejos além do seu lar tribal e aprendeu que pouco sabia sobre o mundo do lado de fora. Um grupo de aldeões devastados pela pobreza a cercaram, alguns tentando roubar suas plumas como troféus caros. Outros, tementes do seu aspecto estranho, chamaram as autoridades, forçando-a a se defender. Aqueles que a atacaram logo aprenderam o perigo que é ficar no seu caminho após ela os perfurar com as suas penas letais.

Devastada, ela voltou para casa, mas descobriu que sua tribo, incluindo seu pai, tinha desaparecido sem deixar rastros. Um antigo templo vastayês tinha sido maculado por uma magia sombria e não natural, interferindo na sua conexão com o mundo espiritual. Ela destruiu o templo para dissipar a corrupção. Assim, quase instantaneamente, a magia retornou às terras próximas. Foi algo belo de se ver, mas sua tribo continuava desaparecida.

Após anos entrando e saindo discretamente das fortalezas mais fortificadas, deixando apenas corpos no seu encalço, ela passou a ser chamada de “a Corva Violeta”. Ela viveu só, concentrada apenas na próxima missão e no próximo passo para libertar o seu povo.

Foi então que ela conheceu outro vastayês que mudou a sua vida para sempre. Enquanto entrava na cidade remota de Vlonqo no meio das montanhas em busca de um artefato vastayês roubado, ela deparou-se com uma multidão de humanos agitados e encantados. Sobre o palco, havia um artista exuberante, um verdadeiro pavão dourado, cantando antigas canções vastayesas para o seu público cativado. Enquanto terminava seu espetáculo com uma série de truques baratos e chamativos, ou como Xayah os via, a multidão foi à loucura chamando seu nome: “Rakan.” Ele curvou-se de forma teatral. Ela o ignorou e o julgou como bufão.

Ela se forçou a ignorar o artista e completou a sua missão. Xayah escapou e teve que admitir que a distração causada pelo bufão perante os habitantes de Vlonqo facilitou sua fuga.

Apesar de prometer-se nunca mais ver esse tal de “Rakan” de novo, ela não parecia conseguir tirá-lo de seus pensamentos. Era uma sensação complicada e estranha. Havia uma leveza no seu jeito de ser que ela achou incrivelmente atraente.

Enquanto saia da cidade, ela ficou preocupada com esses pensamentos estranhos, deixando-se distrair momentaneamente e caindo em uma emboscada de um grupo de mercenários. Ela esperava resistência, então ficou feliz em poder mergulhar as suas plumas em sangue. Uma boa briga parecia ser o antídoto perfeito para distrações inúteis e sentimentos indesejados.

Foi então que Rakan fez a sua entrada triunfal.

Xayah insistiu que não precisava da ajuda do fanfarrão vastayês. Rakan insistiu que ele não se importava e não queria perder a diversão. Ao longo da luta, ele provou-se pouco ortodoxo, mas, ainda assim, um aliado surpreendentemente ousado e eficiente. Ele saltava e dava piruetas entre os atacantes, que não conseguiam desgrudar seus olhos dele, dando a Xayah ampla oportunidade para atacar com precisão devastadora.

Apesar dos seus protestos, Rakan continuou a segui-la. Com o tempo, ela passou a aceitar a sua companhia e, embora inicialmente detestasse admitir, o mundo não parecia mais tão partido e solitário. Eles se tornaram inseparáveis e a sua paixão pela causa vastayesa infectou o dançarino-lutador exibido. Ela se adaptou ao seu jeito livre de ser, utilizando o caos criado por Rakan como distrações perfeitamente calculadas. Juntos, eles lutam para libertar o fluxo abundante de magia de Ionia para trazer de volta a prosperidade dos Vastaya.

Sobre Renan Caldeira

Redação LegendsBR.

Veja Também

Tier List – Melhores campeões da Atualização 8.7

Veja quais são os melhores campeões para subir de elo nesta atualização!