Início / Notícias / eSport / China (LPL) é a campeã do All-Star 2017!
SemLag

China (LPL) é a campeã do All-Star 2017!

O All-Star 2017 chegou ao fim após quatro dias de muita competição e diversão. Foi um evento memorável, com grandes atuações em time e individuais, mas é a hora de nos despedirmos de Los Angeles, Califórnia. Uzi levantou seu segundo troféu no 1×1, após derrotar Bjergsen por 2×1, com direito a uma Kalista afiadíssima. Em Summoner’s Rift, a glória máxima ficou para as estrelas da China, que conquistaram uma vitória apertadíssima sobre a LMS por 3×2. Com dois títulos para o Uzi em uma mesma noite, é seguro afirmar: a maldição do vice está quebrada.


O dia foi só dele! Uzi deixou para trás a sina de vice-campeão e conquistou os dois títulos do All-Star 2017 no mesmo dia: 1×1 contra Bjergsen e 5×5 com o Dream Team chinês – de quebra ainda foi eleito o melhor jogador do campeonato. (Imagem/ Riot Games).

Bjergsen 1 x 2 Uzi

A Grande Final do campeonato de 1×1 começou com Zoe (Bjergsen) contra Kalista (Uzi). O dinamarquês teve um início confortável, controlando o terreno com seu longo alcance. No entanto, Uzi conseguiu encaixar um pouco de poke, e quando Bjergsen pisou em falso, foi abatido. O segundo confronto foi entre Syndra (Uzi) e Taliyah (Bjergsen), controlado com facilidade pelo herói da LCS NA. Uzi tentou agressões durante o tempo todo, mas seu adversário dançava ao redor de suas esferas, chegando aos 100 de farm sem suar.

A terceira e decisiva partida foi entre Ryze (Bjergsen) e Kalista (Uzi), e o astro chinês mais uma vez conseguiu se impor. Bjergsen foi pressionado debaixo de sua torre, e conforme o tempo passava e Uzi se aproximava dos 100 de farm, o dinamarquês ficou impaciente. Tentou o abate e quase conseguiu, mas o Atirador recuou e, pouco depois, conquistou a eliminação e o bicampeonato!

VOD 1 | VOD 2 | VOD 3


• All-Stars 2017

(Imagem/ Riot Games).

Taiwan/Hong Kong/Macau (LMS) 2 x 3 China (LPL)

Jogo 1: Não se engane, ele é FoFo só no nome!

Alguém anotou a placa? O supertime da LPL, definitivamente não. Essa equipe da LMS poderia muito bem atuar em sua liga, e provavelmente destronaria a toda poderosa Flash Wolves sem muitos problemas. Karsa e companhia conseguiram controlar o jogo com facilidade, forçando lutas explosivas com sincronia perfeita. O único momento em que a LPL conseguiu algum espaço foi no começo de jogo, quando 957 (Jayce) levou uma torre no split. Depois disso, só deu LMS. Completamente sufocada, a LPL tentou se trancar na própria base, mas nem isso foi o bastante. Nada poderia salvá-los dos dives fortíssimos de um Shen, Jarvan IV e Leona. Para coroar a vitória, o FoFo (Azir) ainda fez essa pintura… que jeito de abrir a série.

Destaque: FoFo, Azir, 7/0/8. O FoFo é um jogador excepcional e vem se provando cada vez mais neste All-Star. Ele fez mágica, se mantendo como o maior causador de dano, muito presente nas lutas e ainda teve o maior farm: 455 em 41 minutos.


Jogo 2: Uma vitória com pé no freio

Uzi foi o nome do jogo para os Chineses, em uma equipe bem coordenada e que desbancou os maiores rivais para conquistar o All-Star 2017. (Imagem/ Riot Games).

O começo do jogo foi um dos mais loucos que já vimos, com uma tempestade de eliminações nível 1. Isso teve dois efeitos: deu muita vantagem para Uzi (Miss Fortune), que pegou três abates, e atrasou bastante as rotas de Karsa (Lee Sin) na selva. Além de ter sido muito divertida, essa jogada ditou o ritmo da partida, completamente controlada pela LPL, que não perdeu nenhuma torre. No entanto, foi uma vitória extremamente preocupante, pois mesmo com uma vantagem de ouro gigantesca, a falta de coordenação dos astros chineses deu muitas brechas para a LMS tentar buscar a virada. Não fosse por uma boa execução de Dragão Ancião, é possível que a equipe de Karsa teria conseguido. Nesse ponto, a série resetou, tornando-se efetivamente uma MD3.

Destaque: Uzi, Miss Fortune, 8/1/6. O Atirador da LPL foi, de longe, o maior causador de dano da partida. Apesar de não ter grandes momentos além de seu Triple Kill no nível 1, merece o destaque pela consistência, sempre relevante na partida.


Jogo 3: 2018 chegou e ainda tinha jogo

Esta torcedora representava todos nós, achando que o jogo não ia acabar nunca… (Imagem/ Riot Games).

O que dá para fazer em 1 hora, 20 minutos e 6 segundos? Provavelmente, jogar umas três ou quatro partidas de ARAM. Dá tempo de fazer uma boa redação do ENEM, a lápis, e passar a limpo depois. Dá tempo de fazer 26 miojos. Também é o tempo exato de ver essa partida, que foi uma das mais loucas da história do League of Legends. Houve momentos em que o nível mecânico dos jogadores foi um dos mais altos do All-Star 2017. Passou tanto tempo que os erros foram uns dos mais grotescos, também. Nós, brasileiros, nem nos importamos muito, pois fomos treinados para esse tipo de partidas longas, assistindo os confrontos memoráveis entre OPK e CNB. Após muita hesitação, muitos ataques, muitas defesas e um Lee Sin de Zhonya (eita, Karsa!), a LPL encontrou alguns abates na saída do SÉTIMO Barão e finalmente finalizou. Infelizmente, muitos dos espectadores perderam o próprio aniversário, que passou enquanto o jogo rolava. Fica nosso “parabéns!” atrasado.

Destaque: Barão Nashor, 0/7/0. O Barão mostrou muita determinação, e mesmo após ser abatido seis vezes, retornou novamente e fez os dois times lutarem. Se ele desistisse de ressurgir, a partida ainda estaria acontecendo – não importa quando você esteja lendo esse texto. Sem ser ele, os louros vão para Uzi, que jogou de Ezreal e fez 3/0/9. Em um jogo que durou tanto tempo, não morrer é um feito e tanto!


Jogo 4: Se BeBe já joga assim, imagina quando for Adulto…

BeBe disputou sua última série competitiva, já que anunciou a sua aposentadoria. O Atirador taiwanês era o último jogador ativo daquela Taipei Assassins campeã da Segunda Temporada. (Imagem/ Riot Games).

Parecia que a série acabaria nesta partida. Meiko (Thresh), Mlxg (Sejuani) e Xiye (Taliyah) começaram impondo um ritmo muito intenso, dominando completamente o early, coletando abates e se espalhando pelo mapa. A LMS parecia fragilizada, sofrendo constantemente essas iniciações, reagindo muito raramente, e sempre de forma insuficiente. Até que a LPL pisou no freio. Escolheram fazer o Barão, e Karsa (Jarvan IV) não perdoou. Com um roubo milagroso, manteve seu time vivo por mais alguns minutinhos. Era tudo o que os astros da LMS precisavam. Com mais alguns itens em suas builds, os companheiros de Karsa partiram ao ataque, e mesmo cerca de 7 mil de ouro atrás, começaram a vencer lutas importantíssimas, eventualmente conquistando a vitória.

Destaque: Karsa, Jarvan IV, 2/6/13. Karsa vinha jogando muito mal no early, sendo pego toda hora, o que explica seu alto número de mortes. Só que quando mais importou, ele conseguiu roubar o Barão e literalmente salvou a partida ali. Destaque também para BeBe, que fez essa obra de arte em forma de Quadra Kill.


Jogo 5: A maldição está quebrada

A torcida, maioria chinesa, gritava a qualquer indício de luta no Rift – e foram muitas. (Imagem/ Riot Games).

Legenda: Torcida chinesa estava presente em peso para ver a maldição do Uzi ser quebrada!

Que final de campeonato emocionante! Os dois Caçadores começaram muito bem, criando jogadas ofensivas a todo instante. Acabou ficando melhor para a LPL, pois Mlxg (Jarvan IV) criou mais espaço para seu time brilhar, e mais que isso, deu a chance do Ezreal do Uzi crescer livremente, pois a LMS tentou rebater completamente na rota do topo. A China tomou o controle da partida em pouco tempo, e quando tudo parecia encaminhado, Karsa fez mágica novamente, roubando o Barão com seu Kha’Zix. Com uma power play de mais de 6 mil de ouro, a LMS voltou para o jogo de forma sensacional, e quando tentaram tomar a iniciativa e abater Uzi para fechar a partida, a LPL deu uma aula de proteção e salvou seu Atirador, eliminando quatro adversários no processo. Parecia impossível, mas a maldição estava quebrada: o Uzi foi campeão!

Destaque: Uzi, Ezreal, 4/1/6. Uzi foi extremamente impactante com seu Ezreal, sendo o maior causador de dano da partida (44 mil) e o alvo prioritário da equipe adversária. Seu time jogou para ele, e não se arrependeu.


Agora é oficial: a Temporada 2017 está encerrada. O League of Legends competitivo fará uma pausa breve, e volta com tudo no ano que vem. Aguardem, pois após essas merecidas férias, o melhor do LoLzinho brasileiro e internacional estará de volta!

 

Fonte: LoL Esports BR

Sobre Renan Caldeira

Redação LegendsBR.

Veja Também

Rotação Semanal Grátis: Talon, Leona, Swain e mais!

Hora de testar coisa nova!